Deixar os filhos com a babá ou na escolinha?

Posted on Jul 31 2012 - 4:26am by Mamães.net

 

Muitas mamães se perguntam o que é mais adequado: deixar as crianças com uma babá ou matriculá-lo em uma escolinha? A pergunta não é fácil de ser respondida e varia muito de acordo com a proposta dos pais com relação ao desenvolvimento do seu bebê.

 

 

 
Ter uma babá para acompanhar seu filho durante os dias úteis – período em que, geralmente, as obrigações profissionais dos pais os impedem de estarem ao lado de seus anjinhos – traz a vantagem de dar ao seu bebê maior segurança e provisão de suas necessidades diárias.

 

 

 

 

Entretanto, o lado negativo é a dificuldade de encontrar uma profissional de sua confiança e que trate seus filhos como você (mamãe ou papai) trataria. Além disso, do ponto de vista da educação das crianças, impedir os filhos de frequentarem a escolinha pode atrasar seu processo de desenvolvimento social.

 

 
Por outro lado, deixar os filhos em uma escola infantil passa pela desvantagem de saber que seu filho terá atenção dividida com outras dezenas de crianças, o que pode não ser suficiente para evitar acidentes. Outra desvantagem é o dinheiro gasto na escola infantil que, a depender da qualidade, pode representar montantes superiores ao que poderia ser pago a uma baby sitter.

 


A questão é que a grande vantagem de ter os filhos em uma escola infantil é a maturação precoce de seu desenvolvimento social. Em uma escolinha, a criança, antes mesmo de aprender a falar, aprenderá, pela própria experiência, a necessidade de respeitar os amiguinhos, que sua existência deve ser dividida com a dos outros (e, portanto, aprenderá a ser menos egoísta, algo inato ao universo infantil), a fazer amigos e muitas outras lições que a casa não oferece.

 


Como pode ser visto, são muitas vantagens e desvantagens em cada uma das opções, o que reforça a ideia inicial de que tudo depende da proposta de desenvolvimento da criança.

 

 

Entretanto, a escolinha é uma oportunidade de deixar seu filho entrar em contato com o mundo, um pouco mais cedo, o que pode fazer diferença lá na frente, especialmente do ponto de vista social (e, portanto, a melhor opção, na minha opinião!). Pense bem!