Inseminação artificial X Fertilização in vitro

Posted on Sep 21 2012 - 7:31am by cristina.castillo@pannacottagroup.com

Grande parte das mulheres que tentam engravidar e têm dificuldades, procuram por um especialista para fazer um tratamento para conseguir a gravidez. Os especialistas por sua vez, têm a função de fazer os exames necessários, diagnosticar o problema e indicar à paciente o tratamento para engravidar adequado.

 
E graças à tecnologia, atualmente quem precisa fazer um tratamento para engravidar tem várias opções de escolha – conforme indicação do médico, após uma minuciosa avaliação. Dois deles serão o nosso assunto deste ponto em diante: a inseminação artificial e a fertilização in vitro.

 


A inseminação consiste basicamente em ajudar os espermatozoides a percorrem o seu caminho – dar uma carona, deixando-os mais perto de casa. A inseminação ocorre da seguinte forma: o sêmen do parceiro é coletado e depois introduzido na cavidade uterina, sem passar pelo colo do útero, onde pode estar o problema, pois há casos em que as mulheres têm no colo do útero anticorpos que matam os espermatozoides antes que eles alcancem o seu objetivo.

 

 
A fertilização in vitro é o que gera o famoso e popular “bebê de proveta”. Todo o processo inclusive a fecundação se dá fora do corpo da mulher. Começa com o uso de medicamentos para induzir e estimular a produção de óvulos, que depois são aspirados com uma agulha e colocados em recipientes com nutrientes para que permaneçam vivos.

 

 

Depois óvulos e espermatozoides são colocados no mesmo recipiente, para que a fecundação aconteça. Depois de fertilizado o óvulo vai para uma estufa onde a divisão celular começa a acontecer. Quando ocorrer a formação de oito a dezesseis células, o embrião é implantado no útero da mulher.

 

 
Algumas mulheres não aceitam a fertilização in vitro pelo fato da fecundação ocorrer fora do seu corpo, mas em muitos casos talvez seja a única solução.

 

Como podemos ver, a grande espera por um bebê, o sonho de ser mãe não será deixado de lado se depender da medicina, da ciência e da tecnologia, que estão disponíveis para ajudar mulheres que têm dificuldades para engravidar.