Os melhores alimentos para a dieta do bebê

Posted on Nov 12 2012 - 7:32am by cristina.castillo@pannacottagroup.com

 

 

Você passou todos os meses de gestação tomando todos os cuidados com a alimentação e deu tudo certo: a saúde do bebê é perfeita. Mas agora está na hora de começar a inserir outros alimentos na dieta do bebê além do leite materno e você, por mais que tenha conversado com o pediatra, ainda tem algumas dúvidas.

 

 

Bom, a princípio é sempre ele, o médico, a pessoa mais indicada para esclarecer qualquer dúvida – e se na consulta você achar que vai esquecer o que ele está dizendo, não tenha vergonha: escreva tudo. Há, no entanto, alguns dados que é bom você ficar sabendo e que podem ajuda-la a pensar melhor esses cuidados com a alimentação.

 

 

 

Antes de mais nada, lembre-se que o bebê ainda está com seu organismo em formação e, até agora, sua principal fonte de alimento foi o leite materno – maravilhoso como só ele consegue ser, indispensável para o pleno desenvolvimento do bebê.

 

No entanto, ele precisa aprender a ingerir outras coisas, almoçar, fazer lanchinhos… Por isso tudo deve ser o mais natural possível, quanto menos produtos industrializados melhor. Procure evitar até as sopinhas e papinhas prontas, deixe-as para quando for viajar ou passear com ele.

 

 

 

 

Normalmente até os seis meses seu neném não precisa de nada além do seu leite, depois deste tempo é que as frutinhas devem começar a ser colocadas gradativamente na dieta da criança, salvo orientação em contrário do pediatra, é claro. A papinha salgada deve começar, em pequenas quantidades, cerca de duas semanas após a introdução das frutas amassadinhas.

 

 

 

 

Tente quatro colheres de sopa no primeiro dia, afinal ele tem que acostumar o paladar. No dia seguinte aumente mais uma e assim sucessivamente. Legumes e verduras são essenciais para a saúde do bebê, mas não passe-os pelo liquidificador: apenas amasse-os com o garfo, dando oportunidade à criança de ir conhecendo cada sabor separadamente.

 

E lembre-se, a consistência deve ser pastosa. Comece com uma verdura e um legume (os especialistas recomendam que um seja de cor clara, ricos em outras vitaminas e proteínas que não os de cor escura, que têm predominância de vitamina A e C) e vá trocado os sabores e aumentando as quantidades aos poucos. Por exemplo: chuchu, aipim, repolho ou abobrinha com beterraba, abóbora, couve ou agrião.

 

 

 

Já os carboidratos (arroz, macarrão, milho, batata) devem ser introduzidos após 15 dias com a papinha de legumes e verduras – assim como proteínas como ervilha, feijão e lentilha. As carnes (frango, peixe ou vaca) também entram nessa fase, mas sempre magras e cozidas ou assadas. Desta forma seu filhote estará recebendo todos as substâncias necessárias para o seu pleno desenvolvimento.