Quarto do bebê: quais as melhores cores

Posted on Nov 21 2012 - 12:22pm by cristina.castillo@pannacottagroup.com

Esse é um dos momentos mais gostosos da gravidez: a hora de montar o quarto do bebê. Escolher a decoração que vai abrigar o seu pequeno nos primeiros anos de vida, que o acolherá em seu sono, estudos e brincadeiras merece toda a atenção em seus pequenos detalhes, e a cor é um dos itens que devem ser pensados com calma, analisando cada detalhe na hora de compor o enxoval do bebê.

 

 

Muita gente não sabe, mas as cores podem influenciar nos sentidos: elas acalmam, despertam o apetite, propiciam o sono e podem levantar o astral. E, como tudo na vida, elas também têm dois lados: da mesma forma que têm efeitos positivos, algumas também podem acarretar em transtornos como irritabilidade e estresse – mesmo em crianças tão pequenas.

 

 

 

Você já deve ter reparado que normalmente o quarto do bebê tem tons pastéis nas paredes: suaves, eles acalmam e trazem tranquilidade: areia, rosa, azul, verde e lilás são as mais usadas. As cores mais fortes costumam fazer um efeito mais vibrante e contrastante, e podem também ser muito acolhedoras quando usadas de forma adequada, sem excessos.

 

 

Na moda bebê o verde pastel, por exemplo, costuma ser bastante tranquilizador e é considerado a cor da saúde, um verdadeiro “antibiótico das cores”. Para as mamães que mão abrem mão daquela luzinha acesa a noite toda no quarto do bebê, a cor é uma ótima opção, porque propicia o soninho tranquilo.

 

 

O mesmo tom pastel em azul favorece a comunicação com o outro, também trazendo paz às crianças. Quando ele é mais forte e escuro, no entanto, ele ajuda na percepção extra-sensorial, favorecendo a intuição. Uma boa dica é mesclar os dois tons no quartinho, pintando apenas uma das paredes no tom mais escuro ou índigo.

 

 

 

O rosinha não tem erro: já tradicional na moda bebê, é a cor do amor infinito, universal e irrestrito, influencia no carinho e na amorosidade, e sua variação, o lilás ou violeta, rege a espiritualidade e a introspecção. De acordo com especialistas, deve-se ter cuidado ao usar essa cor nos ambientes infantis porque ela incentiva o sonho em excesso e prejudica a comunicação com o mundo exterior.

 

 

Já o vermelho deve ser evitado: favorece a irritabilidade e a insônia, por isso deve aparecer o mínimo possível no ambiente infantil. O laranja, a cor da criatividade, incentiva a criatividade, que, em excesso, também pode prejudicar o sono deixando a criança hiperativa. Pequenos objetos podem cumprir bem a função, mas evite paredes inteiras no tom. O amarelo, por outro lado, é a cor da mente, que auxilia o lado intelectual, mas, na hora do soninho, a cor não deve ficar à vista.