O que é a guarda compartilhada?

Posted on Nov 27 2012 - 12:19pm by cristina.castillo@pannacottagroup.com

 

O casamento se desfaz, mas a família precisa continuar. A separação física dos pais e o fim do casamento muitas vezes gera um conflito para as crianças, que se veem muitas vezes no meio de uma briga de egos que pode prejudicar o desenvolvimento tanto psicológico quanto emocional dos pequenos.

 

A guarda compartilhada, entretanto, busca uma solução para que o sentido de unidade não seja desfeito. Pai e mãe têm os mesmos direitos e deveres para com os filhos.

 

 

 

Muita gente confunde a guarda compartilhada com a guarda alternada, mas, basicamente, o princípio é bastante diferente. Na alternada o filho mora ora com ora com outro, e o que se leva em consideração é a divisão exata do tempo: 50% para cada.

 

Na compartilhada, a decisão é baseada nas necessidades do pequeno, e os pais devem decidir, juntos, qual será o endereço. Nada impede que ele tenha seu quarto em cada casa, mas o endereço deve ser apenas um e os horários combinados com antecedência entre eles.

 

 

De acordo com juristas e advogados, a guarda compartilhada é uma evolução da sociedade causada pela família moderna, onde homem e mulher estão igualmente inseridos no mercado de trabalho e, portanto, com os mesmos problemas em relação aos horários.

 

O sistema leva ainda em consideração um item que consta da Convenção sobre os Direitos da Criança, adota em 1989 pela Assembléia Geral das Nações Unidas, segundo o qual “É direito da criança separada de um ou de ambos os seus pais de manter regularmente relações pessoais e contatos diretos com ambos, salvo se tal se mostrar contrário ao interesse superior da criança”.

 

As decisões, portanto, têm que ser tomadas em conjunto. Da mesma forma a responsabilidade financeira é dividida por ambos, o que evita brigas em relação à pensão alimentícia, já que os dois têm que contribuir para o sustento dos filhos. Não há um provedor e um ajudador.

 

 

 

 

e acordo com os psicólogos, este é o sistema de guarda que mais benefícios traz às crianças por propiciar uma pacífica e rotineira tanto com o pai quanto com a mãe, levando-se em consideração o que é melhor para ela. Brigas e disputas são evitadas e ambos continuam igualmente responsáveis pelos filhos.Além disso, como nenhum dos pais decide nada sem a anuência do outro, a noção de família não é destruída.