Fala, Mamãe: Amor de mãe se multiplica

Posted on Nov 30 2012 - 11:17am by cristina.castillo@pannacottagroup.com

Antes do meu segundo filho nascer eu sempre me perguntava como era possível amar alguém assim como eu amava o primeiro. Estava ansiosa pra saber como era, pois pra mim a referência de amor imensurável era o Theo. Mas bem que me falaram “Amor de mãe não se divide, se multiplica”. E não é que é assim mesmo?

O amor sem fim se multiplicou. Agora pensando no Alec, vejo que muitas coisas são diferente na hora de criar o segundinho, por causa da existência do primeiro bebê. Tudo é mais corrido, mais atrapalhado e o irmão mais velho está sempre no meio… Por exemplo:

 

. O filho mais novo dorme menos, e toda vez que vou coloca-lo para dormir é um “parto” por que lá vem o mais velho fazendo barulho e acordando o coitadinho.

 

. O filho mais novo usa todas as roupas do mais velho. É um brilhozinho ambulante, tudo second hand do irmão. E fica ainda mais parecido e confundido com ele por isso.

 

. O mais novo usa chupeta e mamadeira sem esterilizar. É só uma lavadinha mesmo ou aquela limpadinha na blusa.

 

. O mais novo já usa brinquedo do mais velho, brinca com helicóptero supersônico e cavalinho de madeira. Adeus brinquedos fofinhos, não dá pra separar.

 

. O mais novo vai menos no pediatra, porque a gente já tá um pouco mais confiante e segura.

 

. O filho caçula é um anjo que chegou pra alegrar ainda mais a família. É indescritível a alegria que dá quando você vê os dois interagindo e o olhar de amor que eles trocam, cúmplices, desde pequenininhos.

 

O mais novo tem a vantagem de ter uma mãe mais segura e preparada. E os dois juntos, a vantagem de ter um amor verdadeiro e infinito pra toda a vida: o de irmãos.

 

Dani Feder é uma super mãe de dois meninos e colaboradora do Mamães.net. Ela escreve todas as sextas-feiras aqui no Fala, Mamãe!