Do Começo: A chegada de Maria Eduarda

Posted on Dec 11 2012 - 7:17am by cristina.castillo@pannacottagroup.com

 

Quem diria! Depois de um post sobre ansiedade pré-parto no dia seguinte eu entrei em trabalho de parto. Foi assim que Maria Eduarda chegou, atendendo a profecias que diziam que ela  chegaria entre o dia  28/11 e o dia 05/12. Ela escolheu o dia 05 para começar a dar sinais de sua chegada.

O engraçado é que tudo começou na cama do consultório do meu obstetra. Acordei no dia 05 como em toda a gestação, fiz tudo normalmente e à tarde fui ao meu encontro semanal com meu obstetra. Durante o exame de rotina,  enquanto ele tentava escutar o coraçãozinho dela, veio a primeira contração do trabalho de parto. Bem na cara do médico.

 

Como eu tive  contrações irregulares nas últimas semanas, tanto ele, quanto eu, achamos que era mais uma destas. Saí do consultório e fiz uma GORDICE de despedida de gestação. Me dei o direito de comer um Big Mac, que não comi a gestação inteira. Vislumbrando a amamentação, resolvi enfiar o péna jaca.

 

Pois foi depois do Big Mac que vieram as contrações regulares. Quem já assistiu ao documentário “Super Size Me” vai entender a piada: Maria Eduarda veio das “Mac contrações”. Entrei no táxi a caminho de casa, um  percurso de quinze minutos e tive três. Em casa tive duas e  por um período de uma hora monitorei as contrações que vinham de 4 em 4 minutos.

 

Liguei para o meu obstetra que respondeu: “Siga para a maternidade pois você vai internar hoje”. Foi ele falar isso que eu fiquei  tão nervosa que parei de sentir as contrações e achei que era alarme falso. Mas meu médico mandou eu ir assim mesmo para ser examinada pelo plantonista do hospital. Assim fiz. É estranho como esperamos tanto por um momento e quando ele chega você fica com medo.

 

Estranhamente calma, cheguei na maternidade e foi confirmado o trabalho de parto e três centímetros de dilatação. Mas, uma surpresa, não havia vaga para internação naquela maternidade, que era exatamente a que eu sempre quis ter a Duda.

 

Era para eu ficar nervosa e me descabelar, mas eu passei por isso C-A-L-M-A! Inacreditável. Meu marido começou a cuidar de tudo e coloquei o povo do meu trabalho nervoso e  preocupado atrás de uma maternidade para mim. Conseguimos a internação em outra maternidade e fomos correndo para lá. Não me pergunte como, mas com o trânsito do Rio de Janeiro, em horário de rush, a equipe inteira do meu médico se materializou no hospital em tempo recorde.

 

 

Começamos o procedimento para o parto normal. Meu marido quase não entra a tempo de filmar o parto. Se perdeu de  mim achando que eu  iria para o quarto quando eu  estava na sala pré-parto do hospital. Depois ele se achou…. Mas… durante os procedimentos  para parto normal meu obstetra constatou que eu não estava dilatando. Ou seja, lá fui eu para a cesária.

 

Nunca  tinha estado em um Centro Cirúrgico como paciente. Entrei naquela sala tremendo, apavorada! Mas, tudo correu maravilhosamente bem. Maria Eduarda nasceu na madrugada do dia 06 de Dezembro de 2012 com 3.335kg e  47,5cm  às 36 semanas e seis dias. Foi o momento mais lindo da minha vida…o início de uma nova vida.

 

Não tem uma palavra no mundo que descreva o que eu senti. É algo muito maior que tudo o que já senti… é uma extensão de mim, uma extensão do meu amor pelo meu marido…é a prova de que agora estamos reunidos, eu e ele, NELA!

 

Branca Andrade é jornalista e está grávida da primeira filha. Como mamãe de primeira viagem, vai escrever regularmente aqui no Do Começo. Acompanhe!