Do Começo: Primeira viagem com o bebê!

Posted on Feb 22 2013 - 11:05am by cristina.castillo@pannacottagroup.com

Nossa, quanto tempo sem escrever aqui! Agora meus posts serão semanais, o que é até bom, pois escrever todos os dias com a Maria Eduarda estava complicado (risos). Nesses quinze dias sem post aconteceu tanta coisa… Como não dá para falar de tudo, vou falar da primeira viagem da Maria Eduarda nesse Carnaval.

 

Bem, pra começar o que fazer com uma criança de 2 meses e um feriadão prolongado? Ficar em casa não era uma opção para mim. Mas, curtir o Carnaval, blocos, essas coisas, é I-M-P-O-S-S-Í-V-E-L. Ela é muito pequena para tanta barulheira. Foi então que resolvemos juntar um grupo de amigos, isso antes mesmo da Maria Eduarda nascer e alugar um sítio com piscina, afastado da muvuca, em uma cidade próxima ao Rio para quem fosse trabalhar no meio do Carnaval e para enfrentarmos menos trânsito. Tenho que dizer, foi o MELHOR CARNAVAL QUE TIVE EM ANOS!!!

 

Acho importante uma viagem, que seja para perto, para relaxar e dar uma revigorada. Agora, tenho que dizer, se viajar já é um problema para os adultos na hora de fazer malas, imagina quando se tem que fazer a mala de um bebê para 10 dias? É de matar.

 

Na hora de fazer a mala da Maria Eduarda, levei em conta três roupas por dia, pro caso de sujar, roupa de frio pro caso de fazer frio, fraldas e paninhos, toalha, enfim… a mala ficou gigante! Confesso que não usei nem 10% do que levei. Com o calorão que fez, a criança ficou mais de fraldinha que qualquer outra coisa. Mas naquela de: “é melhor sobrar que faltar” deixei a cômoda dela praticamente vazia.

 

Além da mala, levei um bercinho para ela dormir e mosquiteiro já que ela não pode usar repelente. Como a minha bolsa de mamãe é calibrada, já tinha um trocador portátil. Levei todos os remédios dela e os  que ela poderia precisar em caso de febre e dor também. Já viu, né? Na hora de entrar no carro quase que eu não entro. Tirei até uma foto para registrar a bagunça. Mas, apesar de não ter esquecido nada muito importante, é claro que esqueci alguma coisa.

 

Nem passou pela minha cabeça como eu  faria para dar banho na Maria Eduarda, é mole? Não tinha banheira portátil. Uma saída seria aquele ofurôzinho, mas não achei na terra de interior que fui. Nos primeiros dias, dei banho nela no chuveiro mesmo, tomando cuidado para a água não entrar no ouvidinho dela. Mas, depois, achei uma banheirinha em uma mercearia e comprei.

 

Não adianta tentar substituir o ofurô por balde! Eu tentei. O balde afunila em baixo e aí o bebê não consegue ficar sentadinho. Outra coisa que esqueci foi a tesourinha de unha. E em dez dias já dá para imaginar como a unha da Maria Eduarda cresceu, né? A sorte é que uma amiga minha também tem bebê e me emprestou a dela quando a situação já não dava mais para segurar.

 

 

A viagem foi ótima. A Maria Eduarda estranhou um pouco no primeiro dia, depois ficou bem, e quando a viagem já estava chegando ao fim ela já estava estressadíssima. Muita criança, muita mudança. Então imagina, acho que ela ficou com saudade dos dias em casa, com a mamãe na sala assistindo Friends (risos). Acho que o mais legal é que percebi que dá para curtir uma viagem mesmo com um bebê. A bagagem é maior, mas a diversão é a mesma. Ainda mais quando estamos com amigos maravilhosos como eu estava.

 

Tirei foto de tudo. Duda dormindo na rede, fiz vídeo dela acordando bem humorada, do primeiro soninho dela abraçando um paninho em um colchonete no chão. Vou sentir saudades dos banhos de sol logo que o dia amanhecia, com cheirinho de orvalho na grama e ela na beira da piscina. Acho que ela também vai sentir!

 

Agora, já que o Carnaval acabou, começou 2013, não é?  Feliz Ano Novoooo!

 

Branca Andrade é jornalista e acabou de ganhar a primeira filha. Como mamãe de primeira viagem, vai escrever regularmente aqui no Do Começo. Acompanhe!