Exame de Ultrassom em 3D: como funciona?

Posted on Feb 28 2013 - 7:53am by cristina.castillo@pannacottagroup.com

 

Antigamente, as mamães já choravam de emoção ao ver as formas muito mal definidas de seus bebês nas ultrassonografias em preto e branco, e sonhavam com imagens mais nítidas como se fosse ficção científica.

 

Hoje, pode-se dizer que o futuro chegou: o exame de ultrassom em 3D não só é uma realidade, como ainda pode produzir moldes exatos do feto em tamanho real desde as primeiras semanas de gravidez com tecnologia 100% brasileira. Tem ajudado, inclusive, a casais com deficiência visual grave a acompanhar com muito mais facilidade o desenvolvimento do bebê. Um avanço da tecnologia que está ajudando a unir famílias e também a levar mais informação a estudantes e a casais no mundo inteiro.

 

 

Com apoio do Instituto Nacional de Tecnologia do Rio de Janeiro, a Alta Excelência Diagnóstica desenvolveu um método de impressão em resina por meio de reconstrução tridimensional e também vídeos e arquivos digitais do exame de ultrassom em 3D. De acordo com um dos idealizadores do projeto de impressão do exame de ultrassom em 3D, o ginecologista, obstetra e especialista em Medicina Fetal Dr. Heron Werner, o método era utilizado apenas para pesquisas médicas, mas agora está disponível para o público final.

 

“É bastante útil para gestantes com deficiência visual, que não conseguem acompanhar em sua totalidade os exames tradicionais de gravidez, além de casos de malformação”, afirma. “Além disso, em alguns casos que dependam de cirurgia, por exemplo, o procedimento poderia ser melhor planejado se for possível ter acesso ao modelo impresso”, diz.

 

Apesar de poder ser feito em qualquer momento da gestação, o procedimento tem melhores resultados entre a 24ª e 28ª semanas de gravidez por causa do espaço ainda disponível no útero para que o feto possa movimentar-se. O molde em tamanho real em resina, por exemplo, já permitiu que, através do tato, um casal de deficientes visuais conseguisse acompanhar o desenvolvimento do bebê com precisão, ganhando destaque na imprensa internacional.

 

O projeto, que já participou de exposições em Barcelona (Espanha) e Londres (Inglaterra), também está encantando as mulheres que desejam uma lembrança a mais – e muito especial – da gravidez: os moldes podem ser guardados como recordação e até tornarem-se pingentes para colares, por exemplo, ficando sempre bem pertinho do coração.