Transição do berço para a cama: e agora?

Posted on Mar 1 2013 - 8:04am by cristina.castillo@pannacottagroup.com

Muitas mamães ficam doidas para tirar logo o berço do quarto do bebê, outras ficam apavoradas só de pensar que ele vai ficar livre para andar pela casa mesmo quando todo mundo estiver dormindo. Mas e aí, será que tem uma hora certa para isso? E como deve ser feito, como passa-lo do berço para cama? Na verdade isso ao mesmo tempo faz parte e depende do desenvolvimento do bebê – porque nem todas as crianças gostam de largar o berço, mas há sempre algumas dicas que facilitam o processo.

A maioria dos especialistas afirma que hora certa não tem não, mas que uma boa época para essa transição é por volta dos 3 anos, quando o desenvolvimento do bebê já permite que ele incorpore a mudança com mais facilidade. Alguns fatores, no entanto, podem antecipar a passagem do berço para a cama: o bebê ficar grande demais e não caber mais no berço, pular a cerca mesmo com o estrado abaixado ao máximo, ou a chegada de um irmãozinho na família.

Seja qual for o motivo, no entanto, o que você precisa é fazê-lo gostar da mudança, e encarar a passagem do berço para cama como uma coisa muito legal na vida dele, quase um rito de passagem.

Por exemplo, fazê-lo participar com voz ativa do processo não só ajuda no próprio desenvolvimento do bebê como o deixará mais simpático à ideia da caminha – que ele deve ajudar a escolher, assim como os jogos de lençóis, almofadas divertidas e edredons. Incentive-o também a contar para os outros que ele já tem uma “cama de menino grande”, deixando-o orgulhoso do fato.

A cama, por sua vez, deve ser baixinha, própria para crianças pequenas, de forma que ele não caia, afinal ele não está acostumado a ficar sem as grades de proteção. Mas se a que você já tem for uma cama de solteiro normal, alta, coloque travesseiros, almofadas e edredons no chão do quarto do bebê de forma que, se ele cair, não sinta muito nem se assuste.

Há também algumas cercas de proteção adaptáveis, bem fáceis de instalar. Ir fazendo a transição aos poucos, no soninho da tarde, por exemplo, também é uma boa forma de passa-lo para o lugar novo, naturalmente.