Sexo na gravidez: 5 coisas que você precisa saber

Posted on Mar 6 2013 - 10:03am by cristina.castillo@pannacottagroup.com

 

O bebê tão esperado está chegando, a gravidez corre tranquilamente, mas muitos casais acabam passando por uma situação que, na maioria das vezes, não tem a menor razão de ser: o medo de fazer sexo na gravidez.

 

Principalmente quando trata-se do primeiro filho, a mamãe de primeira viagem deixa-se levar pela falsa noção de que o sexo na gravidez afeta de alguma forma o desenvolvimento do bebê, receio que, salvo em condições explicitadas pelo médico que acompanha o seu pré-natal, costuma ser completamente infundado.

 

 

1. Antes de mais nada, é preciso ter em mente que uma gravidez saudável, sem complicações, está longe de ser um período de doença – muito pelo contrário, é uma das épocas mais bonitas da vida de uma mulher e como tal deve ser vivida plena e normalmente.

 

2. Em segundo lugar, o sexo na gravidez só colabora para que os meses de gestação aconteçam em cumplicidade com seu companheiro, estreitando ainda mais o relacionamento e criando um ambiente de amor e carinho fundamental para a felicidade do bebê que está por vir.

 

3. Se, por um lado, há tempos achava-se que as relações sexuais deveriam ser evitadas principalmente nas primeiras semanas de gravidez, hoje esse mito já caiu por terra: a menos que haja recomendação médica ou risco de aborto ou parto prematuro, o casal pode relacionar-se normalmente inclusive nas semanas de gravidez que antecedem o nascimento.

 

Os especialistas são unânimes em afirmar que a penetração em nada atrapalha o desenvolvimento do bebê, salvo, voltamos a repetir, em casos excepcionais onde a recomendação médica é explicitamente contrária.

4. Muito provavelmente sua libido vai aumentar, principalmente após o terceiro mês de gestação, quando a dose de hormônios aumenta muito! Mas, se por algum motivo acontecer justamente o contrário, fique calma: isso pode ter razões que vão desde o estado emocional – por alterações no corpo como sentir-se inchada ou com acnes até ciúme em relação ao parceiro – até alguma alteração hormonal mesmo. E essa é justamente apenas uma das razões pelas quais seguir o programa pré-natal é tão importante. Tudo deve ser conversado com o seu médico.

5. Por fim, às vezes é ele, seu companheiro, que pode estar diferente, às vezes até sem saber como agir. Então tome a iniciativa. Procure posições mais confortáveis, faça programinhas picantes, como um banho de banheira a dois à luz de velas, uma programação especial com filmes eróticos, e até a leitura em voz alta de um livro, como “Cinquenta Tons de Cinza” ou o clássico “A História de Ó”.

 

E viva esse momento lindo de forma plena, com tudo a que você tem direito para ser feliz!